antónio gonçalves

Teste 123

Blog, Textos

No Comments


Share this post

saaskdfçlaksdfçlkasdçflkasdf
sadfklasjdflkasdflkjasdflkjasdf

Read more

ao que uma tarde me oferece.

Blog

2 Comments


Share this post

Naquela mesaonde sou detido pelo tempo, estou como aparência feita realidade da montra docafé. Dos que me lançam o olhar, apenas retenho névoa passeante e liberto-os noímpeto. Ao gesto cândido de beber o café, admito-me leitor em primazia do queme servirá de alva.

Ai, sempreme revi neste amplexo de gesto pardo, onde o mais simples do momento me poderiaassistir ao primordial do medo.

Um tempofeito forma, uma verdade feita incógnita que se despede em passo lento. Asvozes que ali habitam arrumam tempos idos, agasalham os verbos e o sussurro élivre audácia do que ainda acreditam ser o imaginável.

Eu, comofigura, desprovido da caracterização, alinhado num silêncio arbóreo, detenho-mena horizontal alegria de ainda querer respirar segredos. Admitindo as vezes quese repetem os gestos, que eternizam a melancolia, que lhe dão impiedosareminiscência e nos fazem coabitar tão largas avenidas acreditando na primeiravez como plenitude.

Naquela mesaonde ainda digo, tempo, aparo o meu brilho, para retomar a senda.

Read more

pela ausência do sol

Blog, Uncategorized

1 Comment


Share this post

E aquele fimde tarde mostrou-se tão simples, como se na resposta do teu crepúsculoestivesse apenas o corpo de mais um dia. Não se sujeita o âmago às destituiçõesde histórias aprisionadas nas subtilezas alheias.
Mas aquelefim de tarde foi o imenso desvio da roupagem do medo que presidiu à orientaçãoda beleza. Uma tal voz que preencheu o dia, que o devorou em sussurros tímidos,em aparentes ondulações que se permitiram apreender-me.
E eu, afinalqual era então o meu pedido, qual o dever respirar, que me incitava àindiferença.
Apenas asduas ruas que te levam ao filme do devaneio, servirão a primária vontade, comono mais quimérico do desejo.
Partimos emformato sombra, deixamos aquele fim de tarde alheando-nos da resposta,ignorando a presença dos que por ali ainda se vinham prostrar. Ainda lheadmitem o mito, hoje mesmo, nesta noite o corpo será afagado três vezes e negaráaquele fim de tarde.  

Read more

devo dizer…

Blog, Uncategorized

1 Comment


Share this post
 

Read more

Exposição na Figueira da Foz, inauguração 14 Janeiro às 18h

Blog, Uncategorized

2 Comments


Share this post

Read more

Blog, Uncategorized

No Comments


Share this post

Read more

Blog, Uncategorized

No Comments


Share this post

Read more

Blog, Uncategorized

No Comments


Share this post

Read more

Blog, Uncategorized

No Comments


Share this post

Read more

Blog, Uncategorized

No Comments


Share this post

Read more